9 de maio de 2016

Tomara que não


Se daqui a pouco tempo quiserem ver o mundo de pernas para o ar, basta que os americanos, cuja cultura, em muitos casos, fica aquém do que seria de esperar para um povo tão evoluído, votem em Donald Trump. Se isso acontecer, o que eu não desejo, de imediato veremos os EUA a declarem guerra a tudo e todos aqueles que ousarem contrariá-los ou sequer pensarem em fazê-lo. Mas atenção, a ascensão de Trump (e de outros como ele) só demonstra que as democracias, tal como as concebemos, ainda não estão a salvo dos corruptos que as usam para (se) governarem em nome do povo que os elegeu. 

Sem comentários: