4 de novembro de 2013

Esquecimento seletivo


Acho extraordinário que Cavaco Silva continue a insistir no consenso entre as forças políticas do nosso país, no que diz respeito ao Orçamento do estado, porquanto, se isso não acontecer, passamos a ser o único na Europa em que não existe entendimento em matérias tão sensíveis, sobretudo perante a tirania dos mercados. Esquece-se porém, que em Portugal sempre andámos desalinhados com as políticas dos países da Europa. Basta olharmos, por exemplo, para as diferenças entre o nosso salário mínimo e aquele que se paga em França, em Espanha e, imagine-se, na Grécia, para compreendermos o porquê da nossa constante insatisfação, seja com este, seja com qualquer um dos orçamentos que se apresente com objetivo claro de agradar aos credores, sem cuidar de assegurar o bem estar dos que por cá ainda teimam em viver.

Sem comentários: